Envolver-se com a canção

Há dias em que tenho vontade de falar somente sobre alguma canção. Como vivemos tempos onde tudo é urgente e facilmente degradável, ainda penso que chegará o momento em que voltaremos a prestar mais atenção em canções e álbuns, dando-lhes assim o verdadeiro valor.

Ontem estava conversando na internet  com um amigo sobre um álbum conceitual do Pink Floyd – Animals, que aliás está no post anterior. Durante o final de semana, falando com outra pessoa sobre álbuns do Floyd mais fáceis ou mais difíceis de ouvir… momentos que me levaram a refletir.

Quem é fã de bandas assim, com uma obra mais concisa e profunda, com certeza não saiu apreciando o som logo de cara. Você pode até “bater” com as músicas à primeira audição. Contudo, o que vai fazer você se apaixonar por uma canção ou disco é o processo. Não deixa de ser uma sedução, comparável até a um grande amor. Você pode sentir, ficar “caído” à primeira vista, porém, o que fará aquilo se tornar uma relação duradoura e cimentada é a atenção e a dedicação que você irá dispensar àquela pessoa.

Músicas são assim. O que é descartável entra e sai de nossa vida sem fazer alarde, tampouco deixando marcas.

Se você for ouvir músicas dos Beatles – não as mais lindamente corriqueiras, mas as mais densas, cheias de interpretações e detalhes – você poderá ter belíssimas surpresas. Você não ‘dispensa’ tempo para ouvir uma canção que exige atenção e carinho. Na verdade, a bela canção é que lhe oferece a oportunidade de você a conhecer melhor, de se sensibilizar com a sua história, sua melodia, seu conteúdo muitas vezes não óbvio.

Há que se aproveitar as oportunidades que as boas músicas nos oferecem, de que as conheçamos melhor. Há que se aproveitar a chance de se envolver para sempre com elas.

As boas canções nunca nos deixam. Elas ficarão para sempe conosco. É algo mágico e inexplicável.

Quando ouço “Golden Slumbers/Carry That Weight” sempre me emociono muito. “Certa vez havia um caminho para casa… durma, adorável, não chore… eu lhe cantarei uma canção de ninar”. A linda poesia comove. Sonhos dourados enchem seus olhos, sorrisos lhe acordam quando você se levanta”. E então, talvez condizendo com o momento turbulento que os Beatles viviam, Paul canta Garoto, você irá carregar esse peso por um longo tempo…”.

O que emociona é um misto indescritível, daqueles que fazem uma grande canção. A poesia, a mudança cortante e forte da letra, da música, tudo isso numa das mais belas melodias já compostas por eles, que sempre serão os melhores em compor melodias.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: